Tags

, , ,

Hoje é dia das bruxas! Celebrado no mundo inteiro, o Halloween surgiu dos costumes celtas de mais de 2500 anos atrás. Esse povo originário da Irlanda acreditava que no último dia do verão no hemisfério norte, os espíritos deixavam o cemitério e tomavam conta dos corpos de quem estava vivo. A crença dizia que, para espantar os fantasmas, era preciso “enfeitar” as casas com objetos assustadores, como caveiras, ossos e as típicas abóboras adornadas com caretas.

As noites de terror que pareciam reais ficaram para trás… Hoje, as crianças lembram o Halloween com alegria, aproveitando para soltar a imaginação e vestir fantasias de bruxa, vampiro, fantasma. Além, é claro, dos clássicos personagens de filmes de terror que marcaram época. O monstro de Frankenstein, Jason, Freddy Krueger, pouca gente consegue esquecer as temidas criaturas que infernizavam a vida de quem perdia noites de sono pensando em suas maldades.

Usando roupas características para assustar os vizinhos, a tradição pede que na data as crianças saiam pelas ruas perguntando: “doces ou travessuras”? Quem for bonzinho, distribui as guloseimas e sai ileso da brincadeira. Já aqueles que escolherem a outra opção… Bem, esses entram no jogo e veem suas casas decoradas com as travessuras infantis que marcam o dia das bruxas.

Aliás, no dia do Halloween, as bruxas podem até estar soltas por aí. Mas, aqui na Rae,MP, ninguém resolveu aparecer, pois a nossa sorte continua de vento em popa!

Dia de patriotismo

Incorporado à cultura brasileira, o Halloween foi renegado durante muito tempo por escolas que queriam preservar suas crianças da influência de estrangeirismos. Mas não teve jeito. Sedutora por permitir que os pequenos soltassem as feras e vestissem máscaras com caretas e faces monstruosas, a festa do dia das bruxas pegou por aqui.

O clima de travessuras não foi esquecido, e então criou-se o Dia do Saci, com o objetivo de resgatar e valorizar a celebração do folclore nacional. Em 2005, instituiu-se o dia 31 de Outubro para lembrarmos também de uma personagem inesquecível do imaginário popular.

Eternizado nas histórias do célebre escritor Monteiro Lobato, o saci-pererê vivia aprontando com a turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo. Cheio de traquinagens, o menino negro com uma perna só, que usa um gorro vermelho e vive fumando um cachimbo, tem um assobio característico. E o som indica que vem mais estripulia por aí!

É provável que a lenda do saci tenha nascido entre os povos indígenas do Sul do Brasil, no final do século XVIII. Com a influência dos costumes africanos, o menino ganhou novas peculiaridades, mas continuou aprontando em histórias passadas ao longo das gerações.

Guardião dos segredos das florestas, o saci vive em redemoinhos de vento. Quem consegue capturá-lo pode ter obediência eterna ao retirar o seu gorro e guardá-lo dentro de uma garrafa. Caso contrário, é preciso suportar as pilhérias desse menino traquinas…

Divirta-se nesse Halloween 

*Texto escrito para o blog da Rae,MP