Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

O final de semana rendeu boa programação na Cidade do Cabo. E como os passeios foram realmente agradáveis, é mais do que minha obrigação compartilhar duas dicas imperdíveis e desvalorizadas pela maioria das pessoas que nos dão dicas de turismo por aqui. Pois eu garanto que os dois lugares que visitei ontem e hoje merecem ser conhecidos e aproveitados, porque talvez sejam uma das melhores surpresas para quem vem conhecer a África do Sul.

Ajax, Ajax!

O belo estádio daqui, construído especialmente para a Copa do Mundo, saiu melhor do que a encomenda. Se por fora eu já tinha achado o Cape Town Stadium lindo, por dentro eu fiquei de queixo caído. As instalações são de primeiríssima linha, a arquibancada é super confortável e todo o local onde fica o estádio é belíssimo. Pena que só mesmo em dia de jogo tenhamos a oportunidade de vê-lo iluminado como estava ontem…

Ainda bem que descobrimos a tempo sobre a partida do Ajax Cape Town contra o Supersport United. Isso porque não há divulgação alguma sobre os jogos de futebol, nem na televisão, nem na boca do povo. Para saber a que horas seria o embate perdemos algumas horas da tarde navegando pela internet e fuçando nos mais diversos sites. De notícia em notícia, chegamos à conclusão de que iria haver mesmo o jogo e só poderíamos comprar os nossos ingressos por um site específico que vende os bilhetes.

Depois, corremos para um shopping perto da estação de trem, porque não há bilheterias abertas no próprio estádio. Ou seja, só entra quem tiver comprado os tickets pela internet ou nos pontos de venda (até agora uma incógnita…) e tiver retirado os mesmos antes do jogo, até às 18:30 h. Por sorte, não demos bobeira e tivemos a chance inesquecível de ouvir o barulho que as potentes vuvuzelas são capazes de fazer, além de conhecer a alegria da torcida sul-africana.

No final, fomos brindados com um placar rechonchudo de 5 a 2 para o Ajax. E saímos do estádio felizes da vida, imaginando se o Brasil vai fazer tão bonito quanto a África do Sul fez na construção de palco tão bonito para o show dos melhores craques do mundo.

 

Comidas típicas

O segundo destino super indicado para quem procura um passeio diferente fica no bairro de Woodstock. É o Neighbour Goods Market, um mix de mercado de comidas típicas com feira de produtos típicos que fica nesse endereçona altura do número 375 da Albert Road.

Desde o começo da viagem, ficamos nos perguntando onde eles teriam algo parecido com os mercados centrais que encontramos na cidades brasileiras. E é claro que ninguém conseguia entender o que estávamos buscando… Digo claro porque mais um aprendizado sobre a população local nos mostrou rapidinho que por aqui eles são péssimos na hora de dar informações. Ainda não entendi se eles não sabem mesmo onde ficam os lugares, se não conseguimos estabelecer uma boa comunicação para que todos se entendam ou se as pessoas são mesmo falhas na hora de explicar caminhos e direções.

Assim sendo, não hesite em pegar uma van para Woodstock à procura do Old Biscuit Mill, o nome da galeria de roupas, jóias, artesanato e objetos de arte que fica junto ao mercado de comida.

Para aproveitar bem o passeio, se programe para chegar lá mais ou menos às 10 horas da manhã, porque a feira vai até às 14 horas e o lugar fica lotado. Uma voltinha rápida entre as “barracas” de comida vai ser suficiente para te deixar na dúvida sobre o que provar primeiro. A comida vendida lá é mais do que uma boa comida… São iguarias feitas com produtos finos, que fazem bem não aos olhos. Eu tive tempo de provar uma pizza, um crepe e um doce alemão com maçã e crawberry. Todos deliciosos!

Como esse mercado é bem badalado por pessoas que são daqui mesmo, relaxe e aproveite para curtir a manhã de sol. Há filas em alguns lugares e o trânsito de pessoas entre os corredores beira o insuportável, mas nada que estrague o prazer de aproveitar uma manhã de sol sentado em qualquer cantinho, curtindo boa música e não pagando um absurdo pelos produtos vendidos. Certamente, a estadia em Cape Town não poderia acabar sem a visita a um dos melhores mercados de rua que eu já em minhas viagens pelo mundo.