Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , ,

Foto: Roberta Souza

O Itaú Cultural, em São Paulo, recebe a última edição da Bienal Internacional de Arte e Tecnologia “emoção art.ficial 6.0”, que apresenta obras híbridas, nascidas da união entre a arte e as possibilidades de interação das novas mídias. A mostra fica em cartaz até amanhã, às 20h.

Programe-se para vivenciar o mundo das novas tecnologias interativas! O Itaú Cultural fica na Av. Paulista, 149 / Estação Brigadeiro do Metrô. A entrada é grátis. Horário: das 11h às 20h.

Hibridismo

Na entrada de um dos espaços da mostra “emoção art.ficial 6.0”, você vai encontrar a instalação inglesa “The Mimetic Starfish”, produzida por Richard Nrown.

Foto: Roberta SouzaO artista criou uma estrela-do-mar virtual, que reage ao contato humano graças à tecnologia de redes neurais. Parece que a projeção ganha vida! O trabalho leva à reflexão sobre magia e tecnologia, arte e ciência, filosofia e cognição…

Robotização

Na mostra você também pode interagir com estes braços mecânicos inteligentes, que detectam e seguem o calor corporal humano.

Foto: Roberta Souza

Na instalação “Face music”, criada por Ken Rinaldo, a intenção é que as esculturas montem sons a partir do registro dos rostos dos visitantes: cada imagem transforma-se em sonoridade. As crianças vão adorar brincar com esses robôs que mais parecem criaturas de outro planeta!

Colagem 

Em outra sala, há um telão exibindo projeções que se misturam em mosaicos e parecem compor um quebra-cabeça. É a instalação “Slice”, de George Legrady, onde uma fotografia é cortada pela metade inúmeras vezes, formando novos painéis a cada segundo. Um software é o responsável por gerar essas composições virtuais. O resultado é surpreendente!

Montagem com fotos de Roberta Souza

Made in Brazil

Um trabalho brasileiro pretende discutir as novas referências de posicionamento impostas pela cultura do GPS.

Foto : Roberta Souza

Com essa proposta, Giselle Beiguelman e Fernando Velázquez mostram ao público da exposição “emoção art.ficial 6.0” que é possível rever os padrões estabelecidos. Na instalação “Você Não Está Aqui”, o Norte é sempre estruturado de acordo com a posição dos visitantes, enquanto diversas paisagens são projetadas em 360º.

Foto: Roberta Souza

No espaço “Fala”, Rejane Cantoni e Leonardo Crescenti construíram uma máquina tagarela autônoma, que promove a interação entre homens e máquinas, e entre as próprias máquinas. Ao centro, um microfone; na plateia, 40 celulares formam um coro a partir das palavras escutadas e assimiladas.

 

Sim, o diálogo é estabelecido entre o visitante e as máquinas, que captam e traduzem o som de acordo com um banco de dados construído instantaneamente.

For children

Seus filhos vão se divertir à beça no espaço “Think”, criado pelo “The Interactive Institute”, da Suécia. Em uma tela lúdica, as pessoas podem compartilhar seus pensamentos. Basta digitar no computador e sua ideia será mostrada para todo mundo ver! A proposta é criar uma conversa diferente, onde tecnologia, interação e comunicação se unem em um ambiente único.

Foto: Roberta Souza

Luz na escuridão

Foto: Roberta Souza

Você não pode deixar de ver a obra “Exploded View”, de Jim Campbell. No espaço, mais de mil luzes brancas de LED formam uma tela tridimensional, como se fossem pequenos vaga-lumes na escuridão. De perto, o piscar das luzes parece aleatório. Mas quando olhamos de longe, imagens sombrias vão se formando aos poucos… Super interessante!